Chega a 2ª ediçom do Eclosom

A Gentalha do Pichel organiza de volta o seu certame de músicas emergentes. Até o vindouro 28 de Fevereiro há tempo para as bandas enviarem dous áudios e se anotarem no certame. Igual que o ano passado, as formaçons devem contar com a presença de mulheres e empregarem o galego nas cançons e nas suas comunicaçons. O prémio este ano consistirá em 300€, a atuaçom nos concertos da Festa do Dezassete em Compostela e umha minigira polos Centros Sociais galegos.

Eis a nota de imprensa que nos enviaram as companheiras da Gentalha:


Chega umha nova ediçom do Eclosom, o certame das músicas emergentes que organizamos na Gentalha do Pichel. O Eclosom nascia o passado ano como um concurso de bandas com o objetivo de promover a apariçom de novas formaçons musicais na nossa língua e como umha oportunidade de visibilizaçom das mulheres num eido tam masculinizado como é o da música. Nessa teima continuamos e decidimos pór em andamento esta nova ediçom com a vontade de consolidar o certame e contra-arrestar um dos problemas mais importantes na música galega actual ao nosso ver. Temos destacado a boa saúde da que aparentemente goza o panorama musical galego, som centos de festivais os que se organizam cada ano por todo o País, muitos deles -a maioria- sacados avante por associaçons como a nossa, dando vida e impulsando umha das manifestaçons culturais atuais mais relevantes em Galiza.

Também som muitos e diversos os grupos, ainda que sejam quase sempre os mesmos os que centram os focos, que subem aos palcos ao longo do ano, que ponhem música às nossas noites de festa. A música galega contemporánea, apesar de vir a menos nos últimos anos, resiste com dignidade o embate da aculturaçom da globalizaçom, sem quase ajuda e esquecida por uns meios de comunicaçom galegos que relegam ou recurtam -também neste eido- das suas grelhas de programaçom os espaços dedicados a música galega atual. Aliás, soma-se outro problema consubstancial à sociedade em que vivemos e que tem o seu correlato na cena musical -evidentemente nom só galega-: a escaseza de bandas de mulheres e mesmo a insignificante ou nula presença feminina nos cenários da Galiza, desempenhando nesses casos papeis secundários ou roles mais ou menos pré-estabelecidos: a mulher vocalista, as mulheres que fam os coros ou a mulher pandeireiteira no caso da música tradicional. Precisamos descubrir e desfrutar da produçom de mulheres percusionistas, baixistas e também gaiteiras. Sabemos que estám aí; que se contam a centas as artistas cujo talento está a passar inadvertido supondo nom só umha evidente perda de riqueza cultural mas também de inspiraçom para as moças que ainda hoje podem perceber a cena musical como um espaço de homens.

Ante este panorama, a auto-gestom semelha o único método para criarmos os nossos próprios referentes à margem da cultura dominante. O Eclosom surge com a vontade de visibilizar e promocionar as bandas com mulheres e em galego num já de por si difícil mundo da música. Como novidade, incluimos no prémio deste ano a possibilidade de realizar umha minigira polos centros sociais do País para dar projecçom à banda ganhadora e também para reivindicar e pór em valor a aqueles como espaços programadores e núcleos de difusom da música galega.

O certame

O sistema elegido para a realizaçom do concurso pretende ser o máis participativo possível. Apartir da apresentaçom do concurso e da publicaçom das bases do mesmo abrira-se um período de tempo para que as formaçons acheguem o seu trabalho. Acabado este período de tempo seleccionaran-se aquelas formaçons que cumpram os requisitos do concurso e seram apresentadas nas nossas redes sociais. Começará entom um período de votaçom no que as usuárias decidiram que bandas devem ser as que cheguem à final. A final será na Gentalha numa espécie de “gala” na que se bateram as bandas finalistas. Nesta gala haverá também umha votaçom popular para escolher a melhor banda e um júri que dará também o seu veredito.

As bases

I. O certame de bandas emergentes tem o objetivo de promover as novas bandas em galego e com presença feminina.

II. Será requerimento necessário para poder participar no concurso:

- cantar em galego

- contar com a presença de mulheres

- nom ter publicado nengum disco e ter polo menos 4 cançons de criaçom própria em galego

- as comunicaçons das bandas nas súas redes sociais tenhem de ser em galego

- nom ter chegado à final na ediçom anterior do certame

- as letras nom podem conter mensagens sexistas, homófobas, xenófobas, racistas ou qualquer outro tipo de discriminaçom.

III. Para inscrever-se os grupos devem mandar à Este enderezo de correo-e está a ser protexido de programas autómatas de envío de correo non sedexado, precisas activar o JavaScript para velo um mail com:

- arquivos de áudio de polo menos 2 dos seus temas

- umha pequena biografia do grupo e umha fotografia

- links às redes sociais e vídeos no caso de dispor delas

IV. O praço para apresentar-se ao certame acaba o 28 de Fevereiro de 2018 às 23h59.

V. As finalistas serám 3 bandas, todas elegidas através do voto popular nas redes sociais da Gentalha. A banda ganhadora sairá de umha gala final que terá lugar em Abril de 2018 na Gentalha do Pichel e na que cada banda tocará um máximo de meia hora. Será seleccionada por um júri (que daremos a conhecer mais adiante) formado por músicas, pessoas de meios especializados e umha pessoa representante do Pichel, junto à decisom do público presente que também participará na eleiçom com o seu voto.

VI. A banda premiada dara-se a conhecer na gala final e o prémio consistirá em 300€, a atuaçom nos concertos da Festa do Dezassete em Compostela e umha minigira polos Centros Sociais galegos.

VII. A participaçom no concurso implica a aceitaçom das bases do mesmo.

Engadir un comentario


Código de seguridade
Recarregar

Atención! Este sitio usa cookies e tecnoloxías similares.

Facendo click en aceptar, estás dacordo co seu emprego

Acepto